Mercado para loja virtual

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, para os próximos anos o comércio eletrônico deve permanecer crescendo e aumentando sua participação em relação ao varejo tradicional. O setor tem se mostrado como uma excelente alternativa na busca de novos negócios para o consumidor. As compras de produtos pela Internet podem ser mais planejadas, pois com esse canal o consumidor consegue comparar produtos e preços antes de fechar um pedido. Mais de 90% das lojas de comércio eletrônico são consideradas pequenas. Segundo a BigData Corp, as lojas de comércio eletrônico consideradas pequenas (que recebem até 10 mil visitantes por mês) representam 92,64% do mercado, enquanto as lojas medianas (entre 10 mil e 500 mil visitantes), apresentaram queda de 2015 para 2016, representando 6,61% do mercado e as grandes 0,98%.

As vendas pela Internet têm apresentado números bastante expressivos. De acordo com o relatório WebShopper da E-Bit, em 2015 o setor registrou um crescimento nominal de 15% no faturamento, movimentando R$ 41,3 milhões. A previsão para o final de 2016 é que o comércio eletrônico fature R$ 44.6 bilhões, representando um acréscimo nominal de 8% em relação ao ano de 2015.

De acordo com o IBOPE, o número de pessoas com acesso à internet no Brasil já passou da metade da população, atingindo aproximadamente 52% dos cidadãos, ou 103,4 milhões de pessoas em julho de 2015. Além disso, o número de pessoas com acesso à internet por meio de smartphones chegou a aproximadamente 70 milhões, ou 35% da população, no mesmo período.

A categoria Moda e Acessórios, se mantem como a mais procurada. Segundo dados da 3ª pesquisa do varejo Online, elaborada pelo Sebrae em parceria com o E-Commerce Brasil, moda e acessórios se manteve com (30%), seguido de casa e decoração (13%) e infomática (12%). Segundo o levantamento, a maior parte desse público é feminino, na faixa etária dos 35 aos 49 anos. Em relação aos estudos, pessoas com ensinos fundamental e médio são maioria. A categoria de telefonia e celulares vem conquistando relevância nas compras virtuais nos últimos anos. As vendas via dispositivos móveis tem apresentado forte crescimento. Segundo pesquisa Ipsos/PayPal, realizada em 2015, 13% do total gasto online no mundo se deu via smartphone. Ainda em expansão, o comércio eletrônico móvel, também conhecido como m-commerce ou mobile commerce, já tem registrado grandes números em algumas categorias. Moda, por exemplo, já registrou em 2015, mais de 40% de suas vendas via mobile. Seguindo as tendências do comércio mobile, é fundamental ainda, que as lojas virtuais invistam em sites responsivos, se adaptando, automaticamente, ao dispositivo do usuário, seja em um computador, tablet ou smatphone.

 Fonte: Sebrae

Comentários

    Deixe um comentário

    XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

    Vamos analisar o perfil do seu negócio na web para identificar o que pode ser melhorado no marketing digital